Personas que trabajan en Europac

AS NOSSAS PESSOAS

Em Europac somos talento. Os nossos bons resultados são consequência de uma equipa de pessoas peritas e com competências em todas e cada uma das áreas de trabalho da nossa empresa. Pessoas que não só trabalham lado a lado com os nossos clientes para crescer e fazê-los crescer, questionando cada dia como melhorar e dar continuidade a uma cultura empresarial de transformação e desenvolvimento constante. Somos pioneiros e crescemos graças às pessoas que, diariamente, nos servem de inspiração e nos ajudam a evoluir. As nossas pessoas são o nosso orgulho. Apresentamos aqui algumas destas pessoas, cujo trabalho contribui para o crescimento da nossa empresa. Iremos continuar a acrescentar testemunhos para criar um mapa do talento que torna a Europac grande. 

 

 

 

Nome: Marta Martins
Cargo: Reciclyng and Portugal Packaging Crédit Manager no Grupo Europac
Anos na Europac: 4

“Inovação, qualidade e cumprimento de prazos são cruciais para os clientes”

Quatro anos a “vigiar” riscos e a solucionar problemas. Marta Martins representa o papel mais multidisciplinar do cargo de gestão de crédito através do seu trabalho na Recicla e Packaging Portugal: desde a gestão financeira de riscos à análise de clientes até à relação com outros departamentos do Grupo para assegurar o “estado perfeito de saúde” da Europac

Na minha carreira profissional tenho estado vinculada a departamentos de riscos e, honestamente, nunca vi os números e indicadores alcançados na Europac (em todos os países em que operamos) a ultrapassar limites. Quer a nível de percentagem de saldos vencidos, controlo sobre os mesmos, DSO e apresentando ainda níveis de sinistralidade quase nulos. Gostaria de destacar que estes resultados são fruto de um trabalho de equipa, já que não depende apenas do desempenho da área financeira, mas também do esforço comercial e do resto dos departamentos que possam estar implicados em cada caso. De facto, a complexidade da Europac como grupo, e do meu departamento em particular, e o seu carácter multidisciplinar, é um dos pontos que mais me atraem no meu cargo. Gosto de conhecer e interagir com diferentes áreas de negócio e de não estar limitada apenas ao plano financeiro. Até porque os problemas chegam sempre à mesa dos riscos, mesmo quando não são puramente financeiros. Na minha opinião, é fundamental existir uma excelente comunicação entre departamentos para identificar debilidades e melhorias a aplicar, unificar critérios para alcançar os objectivos, procurar alternativas e desbloquear as possíveis situações complicadas. Tudo, sem nunca perder de vista o rigor com que entendo se deve trabalhar em todos os âmbitos. Não esquecendo ainda que cada país é totalmente diferente de outros e que os mercados funcionam de formas diversificadas. Graças a esse rigor que nos caracteriza, quando visito os clientes, estes dizem que associam a Europac a um serviço de qualidade, inovação e de cumprimentos de prazos. Creio que temos margem para continuar a crescer a nível de packaging e reciclagem, graças às mudanças nos hábitos de consumo e à cultura de cuidado com o meio ambiente. É um orgulho contribuir para essa liderança. De fazer parte de uma equipa e de um grupo em que não apenas dás, mas também recebes. Tenho vivido esta filosofia na primeira pessoa. Com apenas dois anos na empresa, depois de estar grávida, a Europac apostou em mim e materializou essa confiança numa promoção. É um dos valores fundamentais: acreditar no talento das pessoas e na capacidade das equipas para continuar a crescer.

 

Nome: María Berzosa
Cargo: Plant Manager em Dueñas Papel
Antiguidade na Europac: 16 anos

“Estou aqui há 16 anos e continuo a aprender”

Dezasseis a crescer com a Dueñas. Em 2002, María Berzosa começou a trabalhar como responsável da Estação de Tratamento de Águas Residuais e posteriormente passou a responsável do Laboratório de Controlo de Qualidade, vinculada à Gestão de Produção e responsável por projectos. Actualmente é directora de fábrica. Foi uma trajectória multidisciplinar que lhe permitiu ter uma visão completa sobre a fábrica, as suas rotinas e, acima de tudo, perceber os problemas e necessidades da sua equipa, assim como das restantes equipas do processo de produção. María Berzosa olha para Dueñas com uma visão de 360º.

Eu estou aqui há 16 anos e ainda estou a aprender. Lembro-me das palavras de Pepe Castro, uma pessoa emblemática da Divisão Papel, no dia em que me entrevistou. Disse-me: "Quando chega o dia em que se percebe que não se aprendeu nada de novo, deve-se mudar de trabalho". Isso nunca aconteceu comigo. Tenho gostado do trabalho que tenho tido em cada momento e tive a oportunidade de conhecer a fábrica de uma forma global. Passar por diferentes posições acarreta um valor fundamental: perceber o impacto do que se faz na fábrica em relação a outras linhas de negócio do grupo, ao mercado e aos clientes. É algo fundamental que aplicamos continuamente em Dueñas: tentar entender tudo para descobrir as soluções mais adequadas. Uma filosofia que, além disso, devemos aplicar como rotina de trabalho na fábrica para que, dia após dia, se pense em todos os processos e em todos os envolvidos no processo produtivo. Somos uma equipa e perceber isso é a chave para continuar a avançar. Precisamos entender que os processos de fábrica, que funcionam 24 horas por dia, são muito exigentes e precisamos de partilhar a responsabilidade entre todos. Quando há um problema, não procuramos culpados, porque o problema é de todos. Quando encontramos uma solução, o sucesso é de todos. O mais importante é ter uma boa equipa com um objectivo comum. E aqui temo-lo. O sucesso da Divisão Papel é a estabilidade que temos na equipa em todos as vertentes. É difícil, é claro. Existem bons e maus momentos, mas estamos juntos e trabalhamos em equipa com um mesmo objectivo. É uma satisfação ver que encontramos uma solução e seguimos em frente. As pessoas estão muito motivadas, e portanto, é um prazer trabalhar todos os dias. Estou orgulhosa da equipa da Dueñas Papel.

 

Nome: Bruno Goujon
Cargo: European Key Account Manager
Tempo na Europac: 10 anos

“O packaging do futuro está por descobrir”

Dois anos como National Key Account Manager permitiram a Bruno Goujon demonstrar o seu compromisso com o Grupo Europac. Depois disso, assumiu um papel de maior protagonismo e, desde então, é European Key Account Manager. Um papel que desempenha há 8 anos e no qual assumiu um papel fundamental no desenvolvimento da estratégia de negócio a longo prazo. Em 2018 celebra 10 anos na Europac: 10 anos de sucessos, 10 anos a desenhar os próximos 10 anos da Europac

Temos uma revolução total à nossa frente e temos que estar preparados para enfrentar essa revolução. Estou muito entusiasmado com esta nova etapa que temos pela frente: haverá muitas mudanças no sector e devemos enfrentar o desafio de nos adaptarmos antes das nossos concorrentes, porque o packaging do amanhã ainda não existe hoje. Nos próximos 5 ou 6 anos, vamos viver uma mudança total do mercado com base no desenvolvimento do Ecommerce e, assim, temos que continuar a trabalhar nesta linha nos sectores-chave para o futuro que abre este novo mercado. O meu objetivo, nesse sentido, é trabalhar e ser proactivo para alcançar esses mercados antes da concorrência, e continuar a definir estratégias de negócios em áreas-chave, como a personalização e a impressão, ou o crescimento do comércio eletrónico e da indústria alimentar. Temos que aproveitar esse desenvolvimento e estar conscientes que o nosso objetivo é continuar a crescer globalmente e a aumentar a nossa presença internacional. Não tenho dúvidas de que vamos crescer: temos grande estabilidade, estamos presentes em três países líderes do sector (Portugal, França e Espanha), a nossa capacidade de decisão é rápida e também, graças ao trabalho que temos feito, a Europac hoje em dia oferece uma imagem jovem com muito dinamismo. Há muitas oportunidades nesta empresa e estou animado com a oportunidade de viver e enfrentar os novos desafios que estão por chegar.

Nome: Ana Patricia Díaz
Cargo:  Human Resources Operations Manager em Guilhabreu
e Ovar
Tempo na Europac: 4 anos 

"Pessoalmente, sinto-me feliz por que a empresa me permite crescer, fazer parte desse processo e estou muito motivada com o que faço, contribuindo para alcançar os objetivos"

Ana Patricia Díaz começou como técnica de Recursos Humanos através do Projeto Cantera, trabalhado com as três fábricas da Europac Recicla Portugal. É atualmente é Human Resources Operations Manager em Guilhabreu e Ovar

 

O Projeto Cantera é uma experiência única, uma oportunidade a que dou muito valor e que representa uma grande embalagem. O Cantera não pressupõe correr. Tens tempo para refletir, adicionar valor, comparar, conhecer processos e informação. Foi sem dúvida uma oportunidade excelente para o meu desenvolvimento profissional, ter acesso a uma visão global da empresa e aprender muitíssimo a trabalhar junto de pessoas com grande talento, que me permitem aprender e que, além disso, reparo que gostam de ensinar. Aprendo diariamente, porque nenhum dia é igual ao anterior. No meu dia a dia não há rotina. Mesmo que o tenha planeado há sempre algo que faz com que tudo mude: um pedido de última hora, uma urgência ou algum assunto relevante com um trabalhador.  Todo os dias é um desafio e gostaria de estar no mesmo departamento dentro de dez anos, porque gosto dos projetos e acredito que existem atualmente ideias que se podem implementar no futuro. Se há algo que me motiva é chegar à fábrica, descobrir as preocupações e motivações das pessoas que me rodeiam e trabalhar para que toda a gente tenha uma oportunidade no futuro. Uma das coisas que mais valorizo na Europac é a possibilidade de crescimento que oferece, a formação e, sobretudo, porque é uma empresa em constante evolução e crescimento. Pessoalmente, sinto-me feliz por que a empresa me permite crescer, fazer parte desse processo e estou muito motivada com o que faço, contribuindo para alcançar os objetivos. 

 

 

Nome: José Luis Pomar
Cargo: Director da Europac Alcolea Papel, España
Tempo na Europac: 31 anos

“A Europac é a minha casa”

31 anos dedicados a Europac. José Luis Pomar entrou para a empresas como técnico de organização e produção de segunda aos 23 anos. Foi chefe de máquina de papel, chefe de linha de papel, responsável por projetos como ampliação de fábricas ou a transformação da Alcolea,  diretor de produção da linha de ondulado e, há três anos, passou a diretor de fábrica, também em Alcolea que, a par da fábrica de Dueñas, é a mais antiga da Europac

 

Entrei com 23 anos e, atualmente, é não só o lugar onde ganho dinheiro, mas também a minha casa: a fábrica de Alcolea está perfeitamente integrada no ambiente e as pessoas também o estão com a fábrica. Têm sido muitos anos de trabalho para que a fábrica cresça, mantenha a sua identidade e padrão de qualidade. Começamos às oito da manhã e, depois de reuniões e muitas horas de trabalho, acabamos pelas seis ou sete da tarde convencidos de que esta empresa familiar continuará a crescer para se tornar uma grande multinacional. Deixámos de ser uma fábrica em que se terminava o ano a contar tostões para ter uma elevada rentabilidade. O segredo não é mais do que o trabalho. A minha motivação é total, mesmo nos momentos em que nos temos de adaptar a novas circunstâncias, acreditar e fazer acreditar a quem dúvida. Acredito que o desafio mais importante nesta última fase foi convencer mais de cem pessoas de que era possível, porque houve um tempo em que as pessoas se sentiam derrotadas e a situação obrigava a tomar decisões rapidamente. Tomámo-las, felizmente trouxe dinheiro para a empresa. Arrancou assim um novo ciclo para nós e as pessoas começaram a motivar-se. Neste sentido sempre tive uma vantagem. Posso não saber o que devo fazer, mas tenho a certeza do que não fazer. A experiência dos meus erros e das pessoas que me rodeiam tornou-me numa pessoa que saber reconhecer aquilo que não se deve fazer. Hoje sinto-me em casa e se estiver diante de um jovem com talento e perfil técnico explicar-lhe-ia que aqui é um sítio perfeito para crescer e contribuir. As empresas muito grandes têm planos de carreira, mas as pessoas podem entrar pela porta errada. Na Europac existe a opção de progredir, mudar e crescer.